Link para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Link para o Portal do Governo Brasileiro

 

Tatajuba - Características Gerais da Espécie Bagassa guianensis

Autor(es):  Embrapa Amazônia Oriental

  Buscar  

 

   Busca Avançada

Tatajuba   Bagassa guianensis

Bagassa guianensis é uma árvore grande de terra firme, que cresce até 35-50 m de altura e até 2 m de DAP. Como outras espécies da família Moraceae, quando cortada, libera um látex branco abundante e é a única entre elas que ocorre nas Américas a ter folhas opostas, freqüentemente trilobadas e com pecíolos compridos.

O nome científico vem do nome popular usado nas Guianas: bagasse na Guiana Francesa, e gele-bagasse no Suriname. No Brasil, o nome bagaceira(o) é usado raramente; o nome mais comum é tatajuba. Este nome é, às vezes, usado para outras espécies da família Moraceae, especialmente Maclura tinctoria (amoreira) e Clarisia racemosa (guariúba). Outras ortografias incluem: tatajubá, tatajuva e tatajuba-de-Belém. Em Rondônia, o nome mais usado é garrote, o qual é também usado para espécies do gênero Brosimum.

As flores são minúsculas, agrupadas em inflorescências formadas ou de flores femininas (capítulos) ou de flores masculinas (espigas). Estudos recentes, no Pará, mostram a probabilidade de polinização por pequenos insetos (tisanópteros) e não somente pelo vento, como foi anteriormente suposto. Após a polinização as infrutescências crescem até o tamanho de uma laranja. A planta é dióica, ou seja, há indivíduos que só desenvolvem flores masculinas e outros que só têm flores femininas. O fruto é comestível, sendo levemente adocicado. Na mata são comidos por vários animais.

Sua madeira é de cor amarela, tornando-se dourada através do acabamento pela indústria; relativamente pesada e de boa qualidade. Sua contração durante a secagem é excepcionalmente pequena para uma madeira do seu peso. É resistente ao ataque de insetos e vermes marinhos, assim, tem um grande potencial para uso em construção externa e deck . Tem sido cultivada como fonte de celulose. Mas a espécie tem uma distribuição irregular, e é muito rara em algumas regiões onde normalmente deveria ocorrer.

Tatajuba - Taxonomia da Espécie Bagassa guianensis
  Descreve o histórico da nomenclatura científica de Bagassa guianensis e a referência bibliográfica consultada
Tatajuba - Fuste de Bagassa guianensis
  Faz a caracterização morfológica da casca, ao corte e da base de Bagassa guianensis
Tatajuba - Partes reprodutivas de Bagassa guianensis
  Descreve a morfologia de flores e frutos de Bagassa guianensis
Tatajuba - Folha de Bagassa guianensis
  Caracterização morfológica da Folha de Bagassa guianensis
Tatajuba - Outras Espécies de Bagassa guianensis
  Descreve Outras espécies de Bagassa guianensis
Tatajuba - Germinação de Bagassa guianensis
  Descreve o ciclo a partir da semente até a planta jovem de Bagassa guianensis
Tatajuba - Distribuição Geográfica de Bagassa guianensis
  Mostra as áreas de ocorrência da espécie Bagassa guianensis
Tatajuba - Madeira de Bagassa guianensis
  Descreve os aspectos morfológicos gerais de Bagassa guianensis
Tatajuba - Estatística do crescimento(DAP)de Bagassa guianensis
  Apresenta os dados de um inventário de Bagassa guianensis
Tatajuba - Colaboradores específicos para Bagassa guianensis
  Faz menção às Instituições e Pessoas que colaboraram especificamente no conteúdo das informações da espécie Bagassa guianensis
Tatajuba - Dados bibliográficos de Bagassa guianensis
  Identifica os dados bibliográficos da ficha de identificação impressa de Bagassa guianensis

  Hiperbólica
 

Pasta de documentos
Adicionar
Visualizar

  Informes
Embrapa Amazônia Oriental
Topo | Página Inicial | Voltar
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610.
Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°.
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041